sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Melhores do Hip Hop em 2009 (Portugal)

Melhor álbum de Hip Hop em 2009:

Monstro Robot com o seu álbum homónimo arrecada, para mim, o galardão de melhor disco de Hip Hop português de 2009. Pelas rimas de Stray, pela produção de DarkSunn, pelo scratch de DJ SlimCutz, Monstro Robot combinou o melhor de 3 individualidades num registo único, resultando num trabalho surpreendente. Já escrevi exaustivamente sobre este projecto aqui no blog. Portanto, acho que já justifiquei, na altura, o porquê de considerar agora Monstro Robot como o melhor grupo de rap português no ano de 2009.

Melhor vídeo de Hip Hop em 2009:



Portugal inteiro tem feito uma vénia ao trabalho de Macacos do Chinês. A audácia musical do grupo tem rendido elogios dos mais variados quadrantes da música portuguesa. O vídeo de “Rolling na Reboleira” é bastante simples, divertido e ilustra perfeitamente o bom espírito inscrito no tema. Além disso, o vídeo processa-se fundamentalmente na rua, algo que de se fala muito no rap português, mas que quando toca a fazer um vídeo foge-se bem do sol, da chuva, do frio, do calor, das pedras da calçada, do alcatrão, enfim (e vá lá saber-se porquê!). Este vídeo conta igualmente com a preciosa colaboração do famoso Chato e ganha naturalmente pontos com isso.

Melhor(es) mixtape(s) de Hip Hop em 2009:

Nesta premiação, deveria apenas destacar uma mixtape. Todavia, foi-me completamente impossível escolher uma só. Gostei de ambas, embora cada uma tenha particularidades próprias que as tornam distintas. Talvez tenha sido isso a impedir-me de eleger uma como a melhor. São diferentes no conceito, na abordagem, uma conta com um DJ a tempo inteiro, a outra era um regresso há muito aguardado, uma tem um veterano a rimar que conta com múltiplos trabalhos editados, a outra é de alguém que raramente edita a sua música... Por tudo isto e certamente por mais alguma coisa, Pioneiros de DJ NelAssassin e Mundo Segundo e "Manutenção" de Infinito Nocas são, para mim, essenciais para o rap português, neste ano de 2009.

Algumas menções: Salvaguardo que as referências seguintes não obedecem a nenhuma ordem qualitativa, a qualquer espécie de top, quero deixar isso bem claro. Sublinho apenas alguns trabalhos de que também gostei no rap português para além dos grandes destaques que fiz em cima. Acho que 2009 foi um ano relativamente bom em termos de trabalhos que conheceram edição. Gostei de algumas participações da Compilação Best Off, assim como a prestação de alguns artistas na mixtape do DJ Cruzfader (talvez ainda venha a fazer a crítica a esta mixtape), senti bastante o rap do Supremo G na “Live on Stage”, embora me tenha parecido que muitos convidados estavam claramente desfasados da qualidade patenteada pelo Supremo. Apreciei o trabalho do Madkutz com o Nga; de Berna; Roulote Rockers surgiram com uma vibe muito boa; J-K é um rapper de elevado potencial (muita atenção nele); Bob da Rage Sense também surgiu com um trabalho forte (embora eu ache “M.P.L.A.” um disco melhor do que este). Depois, Suarez fez uma inovação ao apresentar um disco de rap acústico, com bons resultados; Praso também voltou às lides com uma sonoridade interessante. Destaque para o regresso em grande de Xeg, que se tivesse preterido algumas faixas do seu último CD talvez tivesse tido melhores argumentos para poder questionar Monstro Robot como o meu trabalho preferido de 2009. Ainda assim, reforço: muito bom regresso de Xeg. DJ Ride é já uma certeza não só no Hip Hop nacional mas na música portuguesa e New Max também marcou posição com o seu disco. Por último, refiro No Pity que é um projecto fora do âmbito do Hip Hop mas que tem dois protagonistas ligados ao rap: Geny e Xizini. Deixo, para acabar, a nota de que houve alguns discos de rap português que ainda não consegui ouvir como o de Fizz, o de Zero e o de Sr. Alfaiate. Portanto, a minha análise é baseada somente naquilo que ouvi em 2009 e apresento a minha penitência por deixar aqueles discos de fora, não porque não tenham valor para serem mencionados, mas unicamente porque ainda não os ouvi.

6 comentários:

  1. Infinito para mim foi a melhor prendinha de 2009 ao nivel nacional, Monstro Robot sem duvida que é um dos destaques, foi uma lufada de ar fresco..

    Alma

    ResponderEliminar
  2. lausam (Cláudia Meireles)3 de janeiro de 2010 às 21:19

    Concordo contigo praticamente em tudo...

    Os álbuns que mais gostei em 2009 foi New Max e o Bob... de resto partilho a mesma opnião...

    ResponderEliminar
  3. Sim, Alma, Infinito foi um regresso forte! Segundo consta no space dele, parece que estará a ganhar forma um novo álbum. Aguardemos :)

    Lausam, eu também gostei de New Max, estive inclusive no concerto dele na Casa da Música e foi muito fixe. O do Bob é igualmente bom, mas penso que ele em "M.P.L.A." estava em melhor forma. Neste já não conseguiu surpreender tanto, embora tenha feito um trabalho de boa qualidade. Por exemplo, achei que o Xeg conseguiu surpreender mais e ter um impacto maior com o seu regresso do que o Bob. Mas são opiniões e gostos, claro :) Olhando para trás, até que foi um ano bastante positivo.

    Cumprimentos a todos!

    ResponderEliminar
  4. espero que entretanto já tenhas ouvido o do ZERO que também está muito bom!

    ResponderEliminar